9 de out de 2008

Soneto de Fidelidade




(Vinicios de Moraes)


De tudo ao meu amor serei atento


Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto


Que mesmo em face do maior encanto


Dele se encante mais meu pensamento.




Quero vivê-lo em cada vão momento


E em seu louvor hei de espalhar meu canto


E rir meu riso e derramar meu pranto


Ao seu pesar ou seu contentamento




E assim, quando mais tarde me procure


Quem sabe a morte, angústia de quem vive


Quem sabe a solidão, fim de quem ama




Eu possa me dizer do amor (que tive):


Que não seja imortal, posto que é chama


Mas que seja infinito enquanto dure.


3 comentários:

sta_may disse...

Nossa ta lindo..
parabens..
=**

beatriz abrant disse...

menina! vc é uma artista! parabéns viu? tenho 26 anos e estou há séculos criar algo q guarde minhas lembranças preferidas e ñ consegui nada igual ao seu, tudo q gosto! copiarei mto daki ainda! tá melhor q pesquisa do google! rs virei fã! meu orkut: biaferrineflores@yahoo.com.br, lá tem o link do meu flogão, bejus!

Thiago Felix disse...

Oi! Achei seu blog por acaso, rs e adorei os textos... gostaria de acompanha-lo mas nao tem opçao pra isso...

Thiago Felix